30 de junho de 2006

Poema a la Cecília Meireles

Entre mim, e a que me complementa
(que, no fundo, sou eu por completo)
há inquietudes bastantes,
que nos levam por caminhos diferentes.

Não temo pela dor da perda,
Ou pela rejeição, que antes me arrasava.
Temo por saber, que aquela que vai,
por outro rumo,
sem bússola, mapa,
ou estrela que a guie,
talvez não encontre o caminho de volta.
E assim ficarei, eu
Perdido de mim, para sempre.

Um comentário:

marcelolirag disse...

Bonissimo meu velho