15 de junho de 2007

Dia dos Namorados...

Parte I - "A Surpresa"

Chego.
Beijo carinhoso (como sempre). Abraço envolvente (idem).
Velas acesas. Aroma de maçã.
Uma garrafa de vinho chileno, em cima da mesa, piscava pra mim.

Eu, sem palavras.

Como faria qualquer homem quando é pego de surpresa, eu disse besteira:
- "Mas hoje é dia 11?!".

Tudo lindo, tocante, envolvente. Eu só pensava: "Uau!... Ela é demais!".

Panela no fogo. Um cheiro gostoso no ar.
Senti vontade de voltar pra casa, trocar de roupa e vir com algo mais apresentável, digno da ocasião.
- "Devia ter feito a barba e passado um perfume que prestasse, e colocado uma cueca nova." - pensei. Mas já era tarde demais.

- "Tira essa cara de bocó!" - era outro pensamento que me atacava, pois eu não parava de olhar pra mesa posta, e todo o ambiente encantador ao meu redor.

- "Você é incomparável!" - disse baixinho.

- "O quê?! - ela me perguntou.

Eu disse "Nada", e fiz a única coisa que podia fazer naquele momento: envolvi-a em meus braços, dando-lhe um beijo no pescoço, sentindo seu cheirinho gostoso.

Servido o vinho, brindamos a mais um dia feliz. Um beijo com gosto encorpado acompanhou o primeiro gole.


Parte II - "O Jantar"



Carne de panela ao molho madeira. Batatas cozidas. Arroz com ervas finas. Deliciosamente saborosos. Tão irresistíveis quanto o olhar que eu tinha à minha frente.

O sabor da comida, somado ao vinho, davam uma sensação de Céu. Paraíso Terrestre.

Mas não estava na comida ou na bebida o que me inebriava e dava êxtase.

Era aquele olhar. Aquele sorriso.

Ali, diante de mim, estava aquela que me encantava cada vez mais. A pessoa pela qual me apaixonei, e que me presenteava com o carinho de um jantar maravilhoso.

O sorriso dado com aqueles olhinhos era que me dava a sensação mais gostosa.

Queria jogar a mesa de lado, e atacá-la ali, no instante daquele sorriso carinhoso e sedutor.

(Como não podia fazer isto, então ataquei a comida, claro.)

Estes pequenos gestos e atitudes desta menina-mulher, linda em todos os aspectos. Charmosa, encantadora, envolvente, carinhosa, tornaram meu Dia dos Namorados inesquecível. A simplicidade dos gestos, feitos com tanto amor e dedicação, trouxeram pra mim um conforto de lar, coisa de mãe. Mas muito além. Diante de mim, ela, A Namorada, linda, bela, incomparável. Luciana Fonseca. Marcava em minha memória, para sempre, uma noite de gostos e gestos que ficaram eternizados. Éramos dois ali sentados. Simples. Sem complexidades. Porém, nas outras duas cadeiras, nos faziam companhia a Paz e a Felicidade.

E sobre nós pousava o Aleph, dando-nos proteção e Amor.

Um comentário:

Luciana א disse...

Lindo, lindo, lindo, lindo... você me encanta com palavras tão deliciosamente poéticas. Nossa noite foi maravilhosa (nossaS noiteS foram - e são sempre - maravilhosas, não é?).

Mas o que mais gosto é seu olhar de surpresa, de felicidade, de carinho, de paixão... simples olhar que me mostra um mundo inteiro.

Te amo.
E brindo à nossa noite assim como brindo à todos os momentos ao seu lado!

Da sua alvi-rubra namorada ficam os beijos (muitos deles), os quais ela não vê a hora de entregar pessoalmente!